Inovação Aberta e a Carreira profissional

Compartilhe

O resultado das reflexões de um ex-executivo do Vale do Silício a respeito de sua experiência com a gestão de tecnologia na indústria e, depois disso, com o estudo mais geral do processo de inovação nos círculos acadêmicos, fez do termo "Inovação Aberta", cunhado por Henry Chesbrough, uma importante teoria e prática como fonte de informação para gerentes e diretores de empresas envolvidas com o processo de inovação em suas organizações.

Inovação fechada x Inovação aberta

Diante da necessidade de inovar cada vez mais, as empresas não conseguem por si mesmas, ter todo o conhecimento para gerar suas próprias ideias, e em seguida, desenvolvê-las, construí-las, comercializá-las, distribuí-las, assessorá-las, financiá-las e dar-lhes todo o suporte possível para concretização do sucesso, escreve Chesbrough (2012).

Segundo este autor, o pensamento da inovação aberta muda o papel da função de pesquisa. Atualmente os pesquisadores, são encarregados de movimentar o conhecimento para dentro e para fora dos silos (departamentos da empresa). Assim, o conhecimento vindo do exterior (fornecedores, clientes, outras empresas) pode ser tão útil quanto o conhecimento criado internamente.

Carreira no século XXI

Então se as empresas estão se abrindo para outras formas de inovar, por que você não faz o mesmo com sua carreira?

E o que buscar? Quais são as exigências das empresas atualmente?

Na declaração de Rodrigo Pacca, gerente de recrutamento e seleção da Ambev, a maior empresa de bebidas do país, com quase 30 mil empregados, em entrevista ao Valor a resposta "procuramos os melhores valores, os melhores talentos - essa é a condição imprescindível para continuar crescendo. A empresa precisa apostar, permanentemente, no desenvolvimento das pessoas e na sua capacitação profissional. Isso é fundamental para o nosso negócio".

E ainda nesta entrevista ao jornalista Genilson Cezar do Valor, Licínio Mota, diretor-geral de pós-graduação da Escola Superior de Propaganda e Marketing (ESPM), em São Paulo, afirma "as empresas querem seus executivos mais qualificados para comandar. Essa é a exigência de um mercado cada vez mais competitivo, com custos apertados. É menos uma questão técnica, e mais uma preocupação com a gestão de pessoas e do negócio".

Ou seja, as empresas estão buscando novos líderes, profissionais que sabem lidar com pessoas (e não só com máquinas e robôs) e que tenham compreensão do negócio em que estão, para monitorar, orientar e até recomendar mudanças nas ações da empresa. Grandes erros continuam sendo cometidos nas empresas. E os erros acontecem porque os líderes assim o determinaram. Não é a base da pirâmide da empresa que elabora e executa a estratégia. Mas quando algo sai errado, por vezes é a primeira a sofrer as conseqüências, como por exemplo com demissões.

Então por que não utilizar a Inovação Aberta para construir  e desenvolver sua carreira profissional?

Em primeiro lugar procure líderes em sua empresa, sua comunidade, associação, clube e análise como eles se comportam. Veja os aspectos positivos e negativos que pode incluir ou não em sua rotina profissional diária.

Em seguida busque nos livros, biografias de pessoas nas quais se identifica, os traços que fizeram desta pessoa, ter o registro de sua vida em um livro.

Analise as ações dos competidores da sua empresa e procure entender melhor os clientes e consumidores. Os clientes compram mais da sua empresa ou da empresa concorrente? O atendimento é melhor realizado pela sua empresa ou pelas empresas concorrentes? A que se deve este fator?

Lembre-se, foi-se o tempo que uma empresa ditava regras e impunha seus produtos e serviços às pessoas. Agora que o capitalismo está em uma encruzilhada, onde exige-se o fim do trabalho escravo, do trabalho infantil e que as empresas se tornem sustentáveis, uma nova mentalidade gerencial está sendo exigida. É preciso entender o consumo, os clientes e os consumidores. As pessoas mudam de marca, assim como de produtos e serviços, atualmente com muito mais frequência.

E então, você está preparado para estes novos desafios? A empresa em que trabalha tem outras exigências? Quais?

Aguardo seus comentários. Bom trabalho, boa sorte.

Referências:

CHESBROUGH, Henry. Inovação aberta : como criar e lucrar com a tecnologia. Porto Alegre : Bookman, 2012.

CEZAR, Genilson. Procuram-se líderes. Disponível em http://www.valor.com.br/arquivo/896371/procuram-se-lideres. Acesso em: 14 abr. 2012




Alfredo Passos Alfredo Passos  /   /  Carreira  / Data: 17/04/2012  / Views: 2.457 / Mais artigos deste colunista

Partner da Knowledge Management Company, Professor ESPM, Membro da Society of Competitive Intelligence Professionals - SCIP, autor de “Inteligência Competitiva – Como Fazer IC Acontecer na Sua Empresa”, “E a Concorrência…não Levou!” e “Inteligência Competitiva para Pequenas e Médias Empresas”, publicados pela LCTE Editora....