Auditoria Interna: O caminho para o céu ou para o inferno!

Compartilhe

Leitores do Qualidade Brasil,

 

Primeiramente gostaria de agradecer a todos que leram e comentaram o texto que eu publiquei aqui no site sobre estilo de implementação de novidades e melhorias em um SGQ.

 

Hoje vamos a mais um tema polêmico: Auditoria interna.

 

A Auditoria interna tem papel chave no sistema de gestão da qualidade (SGQ).

 

A definição da palavra auditoria ressalta esta importância:

 

"processo sistemático, documentado e independente para obter evidências de auditoria e avaliá-las objetivamente para determinar a extensão na qual os critérios da auditoria são atendidos"

 

Através desta definição vamos discutir alguns assuntos relativos a auditoria interna.

"Processo sistemático": O auditor deve ser sistemático, isto é, seguir um método, um sistema.

 

Organização e método devem ser os lemas do auditor. Porém, se este não tiver esses conceitos aplicados no desenvolvimento do seu trabalho, o processo de auditoria não proverá resultados relevantes e confiáveis ao sistema.

 

"Processo documentado": Não adianta um bom trabalho, sem que possa apresentá-lo e comprová-lo. Os resultados devem ser evidenciados e os métodos expostos em um procedimento de gestão.

 

"Processo independente": O auditor deve desenvolver seu trabalho de forma a não ser influenciado por quaisquer motivos. Os resultados desta auditoria só terá real relevância e confiança com esta premissa sendo respeitada.

 

"para obter evidências de auditoria e avaliá-las objetivamente": A avaliação das evidencias coletadas durante a auditoria interna devem ser avaliadas em reunião com a alta direção (inclusive RD). A análise critica do sistema pode servir para esta reunião, porém a periodicidade da avaliação do SGQ pode ser feita de acordo com a necessidade e vontade da empresa. É claro que deve haver um espaço mínimo entre as auditorias e suas avaliações (normalmente 3 meses no mínimo), porém um intervalo de 1 ano, por exemplo, pode ser demasiadamente grande para o sucesso, principalmente na fase de implementação.

 

Fica evidente após estes pontos, que a auditoria interna (realizada por auditores da própria empresa ou por consultorias externas) é um importante passo no sentido de ajustes do SGQ, fazendo com que seja avaliado se o caminho seguido foi o certo, e fazendo após a avaliação do trabalho e dos dados coletados (evidencias), as devidas correções necessárias para o encontro do objetivo traçado.

 

Fatores como a má escolha da equipe de auditores internos, a má capacitação destes, a falta de independência no decorrer do trabalho de auditoria, a falta de documentação do método ou a não evidenciação do processo pode vir a prejudicar o processo de auditoria. Com isso, não haverá as correções no caminho de implementação ou melhoria, e conseqüentemente acontecerá a frustração do SGQ e dos colaboradores que tentam se empenharam ao longo do processo e que deram todo o crédito ao longo desta.

 

O céu e o inferno estão mais perto do que se imagina!!!




Ivan Santos de Lima Ivan Santos de Lima  /  Site do autor  /  Iso 9001  / Data: 08/12/2008  / Views: 5.469 / Mais artigos deste colunista

...