PDCA, BSC, GDP são apenas modismos ou realmente funcionam?

Compartilhe

Nas últimas décadas no mundo empresarial tem surgido diversos métodos com suas siglas que muitas organizações dizem que usam para impressionar no mercado. Essas metodologias realmente funcionam ou é apenas Marketing? O uso dessas metodologias tem efeito significativo no alavancamento de desempenho da organização quando utilizadas de forma simultâneas.

O que significam as siglas BSC, GPD e PDCA?

BSC significa Balanced Scorecard. O BSC é uma metodologia para medir e gerir a performance da sua organização de forma estratégica que são baseadas em 04 (quatro) perspectivas dentre elas. (vide figura 1) : 

  • financeira;
  • clientes internos e externos;
  • processos internos;
  • aprendizado e crescimento organizacional.

Figura 1 – Visão geral do BSC desenvolvido por Kaplan e Norton

O PDCA é um método de soluções de problemas vastamente divulgado após a Segunda Guerra por Deming na reconstrução do Japão depois de 1945. Nas duas últimas décadas do Século XX seu uso foi amplamente realizado no Brasil com resultados sustentáveis em relação a organizações que não usavam o método descrito.  Ele se baseia em 4 fases de fácil assimilação com 8 etapas (vide Figura 2):

  • P – Estabelecer metas e medidas para alcançá-las;
  • D – Capacitar pessoas e executar o plano;
  • C – Verificar os resultados em relação ás metas;
  • A - Agir conforme os resultados.

Figura 2 – Visão geral do PDCA (das fases e etapas) que foi desenvolvido por Stewart na década de 20 do século XX.

O gerenciamento pelas Diretrizes (GPD) é uma metodologia que visa garantir a sobrevivência da empresa à competição através da visão estratégica estabelecida com base na análise do sistema empresa-ambiente e nas crenças e valores da empresa e através do direcionamento da prática do controle da qualidade por todas as pessoas da empresa segundo aquela visão estratégica, segundo Falconi (vide figura 2).

Figura 3 – Visão geral do GPD

Como integrar as 03 (três) metodologias na gestão da sua organização? A resposta para essa pergunta é complexa. Vale uma pequena reflexão a esse respeito, pois muitos no passado diziam que essas três metodologias eram excludentes. Nos dias de hoje, elas podem conviver harmoniosamente considerando algumas interfaces.

Tabela 1 – Interfaces entre as três metodologias.

Na tabela 1 e na figura 4 percebem-se quais são essas interfaces entre as metodologias.

Portanto, a maturidade de organização irá exigir um modelo híbrido de gestão com diversas metodologias para garantir uma aceleração de desempenho sustentável ao longo dos anos.




Tiago Trevisani Tiago Trevisani  /   /  Qualidade  / Data: 22/05/2012  / Views: 7.961 / Mais artigos deste colunista

Profissional formado em Engenharia de Materiais com especialização em Gestão da Produção e especialista em Lean Seis Sigma (Black Belt). Experiente em Gestão da Qualidade e Operação (Gerenciamento pelas Diretrizes, Seis Sigma, Lean Manufacturing e Office, Gerenciamento da Rotina do Dia a Dia - SDCA e PDCA, Programa de Sugestões, Normas ISO 9.000/ TS 16.949/14.000 , 5 Sensos – 5S, Manutenção Produtiva Total, dentre outros). Atuante no Prêm...